Como construir um closet?

Eu sempre gostei de ir às compras, vestir tudo o que me apetecia, e brincar com a moda. Acho que não temos de estar presos a um estilo, nem ao que é socialmente imposto. Defendo que a moda é para ser usada a nosso favor e devemos ser criativos com ela. Devemos divertir-nos e devemos, sobretudo, estar confortáveis com aquilo que usamos. Porque não há nada menos ‘in’ do que o desconforto. Então, como podemos construir um closet que nos encha as medidas?

Em primeiro lugar acho que ter tudo e comprar desenfreadamente não nos vai dar necessariamente aquela sensação de termos imensa pinta e de nos estarmos a sentir bem poderosas. Na minha opinião com pouco pode fazer-se muito, interessa fazer escolhas inteligentes, para tal. Não precisam de conhecer o mundo da moda, estar a par das últimas tendências ou conhecerem todas as influencers do momento e utilizarem tudo o que elas utilizam. Interessa:

  • Conhecerem-se e conhecerem o vosso corpo: primeiríssima regra de todas. Conheçam-se e conheçam o vosso corpo. Descubram o que vos favorece a silhueta, descubram aquilo com que se sentem confortáveis, com que se sentem bonitas. Porque, mesmo que muitos possam ver a moda como uma futilidade, a verdade é que até esses têm de andar vestidos… ora, se temos de andar vestidos, porque não usar isso a nosso favor? Além disso melhora a auto-estima, e com isso tudo fica melhor. Ninguém pode negar que quando nos sentimos bonitos, o dia melhora (claro que não depende apenas do que vestimos, mas é uma fatia do bolo, garantidamente).
  • Inspirem-se: antes de sair a bater perna em lojas e centros comerciais, façam o trabalho de casa – inspirem-se! Quer seja nas pessoas que seguem no Instagram, quer seja no Pinterest ou em outro lado qualquer. Pessoalmente, o Pinterest é top para este tipo de ação.
  • Criar uma base: com um closet com básicos, podem fazer TUDO o que vos apetecer, o céu é literalmente o limite. Não se joguem a comprar roupa à toa, primeiro porque não querem desperdiçar dinheiro, segundo porque não querem correr o risco de ficar épocas inteiras com roupa ainda com etiqueta, terceiro porque como sabemos, o ambiente não agradece ações desmedidas e pouco pensadas. Vou dar-vos o meu exemplo: durante os últimos anos eu ganhei imenso peso, que neste momento estou (acompanhada por profissionais) a perder. Isto fez com que nos últimos 5 anos eu tenha ficado quase sem comprar roupa, e a que tinha usei até à exaustão. Conclusão: closet completamente vazio, que terá de ser composto novamente. Como quero investir o dinheiro de forma sábia, decidi apontar a base do meu closet e ver o que tenho, e o que tenho de comprar e seguir a partir daí. Enquanto freelancer não tenho que seguir nenhum código para me vestir, e no negócio de família usamos fardas. Estando orientada neste sentido, fui ao Pinterest e criei uma pasta ‘Look Inspiration’. Nessa pasta guardei todas as imagens com looks que achei que eram a minha cara e que vestiria de boa. Fiz isso durante uns 3 meses (estou a perder peso, por isso estou a fazer tudo com calma, não tenho pressa). Ao fim desses 3 meses, fui analisar o que tinha guardado e tirei conclusões. Criei a minha base.
  • Investe o dinheiro de forma sábia: ninguém precisa ter tudo – ninguém. Para quê gastar 100€ num par de sapatos que fica ali, a enfeitar a prateleira? Seguindo o pensamento do ponto anterior, passo a dar um exemplo: da análise que fiz, cheguei à conclusão que sou muito mais de usar ténis do que qualquer outro tipo de calçado. Assim, na minha base de closet coloquei apenas um par de scarpins – porque são clássicos, para eventos especiais; um par de sandálias de 2 tiras – porque são o meu modelo favorito e servirão para tudo o que é festa; e uns mocassins – para quando quero estar confortável mas arranjadinha na mesma. Não me adianta comprar muito mais do que isto, porque sei que não usarei assim tanto. O dinheiro que não gasto aqui, posso investir em outras coisas que nada tem a ver com moda, ou posso mesmo comprar mais ténis, visto ser o que mais uso. Seguindo esta linha, podem aplicar a tudo (dentro e fora da moda). Em Beauty, por exemplo, tinha imensa coisas e quase não usava nada porque primeiro raramente me maquilho e segundo porque não tenho assim tanto jeito. A meio do ano passado resolvi dar uma volta a tudo e coloquei tudo no lixo porque era tudo muito velho. Daí em diante comprei o básico – de qualidade – e vivo com isso. Mais vale ter pouco, investir na qualidade, e usar tudo.
  • Experimentar, sem medos! : então, já olhámos para nós e percebemos o que gostamos. Já fizemos a nossa pesquisa, inspirámo-nos e agora chegou a altura de mudar. Aqui é que é a sério. Depois de todo o trabalho feito até agora chegou a altura de ir efetivamente às lojas e comprar. Tirem uma manhã/tarde ou um dia inteiro – who cares – para fazerem as compras e garantirem que compram em consciência. Poderá acontecer looks que viram em inspiração e que ao experimentar as peças não se gostem de ver. Sem problema. Esta fase é para isso mesmo: testar, testar, testar. O importante é comprarem apenas o que vos deixa confortáveis e bonitas. Que saibam que vão sair da loja e que vão usar imensas vezes. Nesta fase aconselho a comprarem tudo em lojas físicas porque da-vos a oportunidade de experimentar tudo, em vários tamanhos.
  • Base do closet feita? Vamos inovar! : depois de criarem a base do closet e terem básicos para o dia a dia, chegou a hora de inovar! Terem aquela peça que namoraram durante imenso tempo, aquela peça que é super diferente, aquela tendência que acham super! Tenham consciência de comprar apenas coisas que sabem que vão usar. Nem todas as tendências nos irão ficar bem, e não precisamos sequer de as usar todas. Festas e eventos especiais (casamentos e afins) – não vale a pena comprar um vestido para cada ocasião. Tenham 1 ou 2 vestidos (looks) e usem mais do que uma vez. Podem sempre dar um ar diferente através dos acessórios, da make, do cabelo… de que vale um closet cheio de vestidos que usámos apenas uma vez? É desperdício.

Em conclusão: ter uma boa base de closet dá-nos uma margem monumental para criar. Não é preciso ter muito, não é preciso comprar em exagero, não é preciso ter muito daquilo que se usa pouco. Descubram o que vos fica melhor, o que usam mais, e invistam aí. Percebam o que usarão menos vezes e coloquem menos da vossa fatia orçamental nessa parte. Não posso pedir que comprem apenas em loja A ou B porque cada um é dono da sua carteira e não me cabe a mim colocar opinião em carteira que não é minha. Mas posso-vos aconselhar a comprar peças que sabem que vão usar mais vezes e que são facilmente conjugáveis, para que tenham possibilidade de comprar menos. Não queiram ser as bloggers, influencers. Não se esqueçam que a profissão delas é mostrar tendências, é dar-vos conselhos, é mostrar-vos o que o mercado tem disponível. É fazer, muitas vezes, a ponte entre as marcas e vocês – o consumidor final. É mostra-vos marcas/lojas que se calhar de outra maneira não conheceriam. É incentivar-vos a arriscar em novos looks, em peças diferentes. É, em primeira análise, inspirar-vos. Não precisam ter closets gigantes, ter as peças todas da moda, seguir todas as tendências. Precisam de um closet inteligente que se adapte à vossa rotina e que, com pouco, se sintam maravilhosas todos os dias!

Vale sempre lembrar que em tempo de quarentena tudo o que precisamos já temos em casa! Guardemos a vontade de ir às compras para quando nos for possível!


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s