Quintana Roo, México

(descer para ler em PT)

On February I went, finally, to Mexico. Finally because this trip was plan almost 3 years ago, but only now all the friends had the time to go. Before anything else, I have to say that I’m completely in love with Mexico and I want to come back, not only to the same place – a week is not enough – but also to other places, Mexico is a huge country.

At Mexico I’ve done things I’ve never thought I would. I’m not an adventures girl, so I was not looking for activities that would put me out of my comfort zone. But I swam in rivers full of fishes all around me, swam under the sea with a diving suit, I snorkelled for the first time. I know, those are not extreme sports, but trust me, I went out of my comfort zone and loved it! We stayed on the Baía Príncipe Resort, at the Akumal (they have 4 hotels inside the resort) and on the first day we didn’t do much. On the morning we had a little meeting with the agency which explained everything we need to know. On that meeting we choose the excursions we wanted to do. We spent the rest of the day relaxing and enjoying what the resort had to offer – the pools, the beach, the food and the drinks and we saw our first Mexico sunset on the resort beach.

On the second day we had our first excursion to Xcaret. Xcaret is a park with many different activities and a lot to see. We can, for example, diving, swim with sharks, going with the flow of the rivers – the park currently has 3 rivers, only one of them is underground, the other 2 have only small parts that we stay in the dark, but it is very little, in one of them we pass through a cavern with bats , this experience is so good. But the park also has lighter things to do. It has a greenhouse, a butterfly space, we can stay on the beach, have nets to rest, on the top it is a very diversified park and has many more activities than the ones I mentioned here. At the end of the day, the park has a show about the history of Mexico. It goes from the Mayas and its famous game of soccer (soccer game played with the hips instead of the feet), to the invasion of the Spanish, until the present day. The show has some international prizes and is worth seeing! Personally I loved it. Xcaret is a park to stay all day, in fact our tour started at 7:30 and we arrived at the resort at 11pm!

On the next day we went to Hacienda Jalisco and at 10 am we were already drinking Tequila! We tasted the real Tequila, like the Mexicans say. We learned so much about this drink. I didn’t know, for example, that they treat the Tequila like we treat our wine in Portugal (you know we have the best wine in the world, right? :p ). This means that the number of of years, the taste, the quality, the percentage of alcohol, etc… It was super interesting and we tasted Tequila so good, from different times, with flavors. For example with the flavor of banana or coconut (I’m drooling just thinking about it). Another great experience. of course we did some shopping. Tequila from Mexico to Portugal! After shopping we went on a collective transportation, which is famous around  there to Playa Del Carmen. This place is awesome if you want to shopping. It’s never ending streets. Yes, we toke the chance to buy some souvenirs, but we were more interesting to just look around. Streets full of people, on the one hand, natives to give everything to be able to sell, on the other, tourists to spending their money. We passed on the Frida Kahlo Museum, strolled through the streets and enjoyed the beach. The afternoon was spent between the pool and the beach of the resort to tan, to enjoy the resort and to rest because the next day was waiting for us, another day full of activities.

On the fourth day we went to the world famous, and one of the 7 Wonders of the Modern World, Chichen-Itza. What can I say about this place? It is beautiful, we are swallowed by its greatness, magic and history. We learned so, so much about the Mayan culture and we were very intrigued watching all that they did with what they had back in the time, everything done milimetrically without leaving anything to chance. It’s amazing! To buy some souvenirs, it will probably the most cheap place you’ll find, so it is good for shopping. Here we have to higgle the prices, which makes it all much more fun! We had lucky to have a super cool tour guide. From the resort, at the beginning of the day, until the end of the tour, he was always so nice, funny, sarcastic and with a great sense of humor, which made the bus trip nothing hard to do, in fact it was the opposite! The morning was spent at Chichén-Itzá. On the road to Hubiku, me and my friends, we were “forced” to dance the Macarena song on the bus, because we were the last ones taking the bus. A rule of our guide. It is not a big deal, nothing relevant, but it was so funny, genuine and a great conversation unlocker that I had to mention it! As I said, next stop was Hubiku, where we had a buffet lunch with Mexican food – so delicious – and we did another Tequila taste (OMG!!). This was where I’ve seen, probably, the most beautiful “thing” ever: Cenote Hubiku! Really, how can nature give us things like a cenote… There are more than ten thousand cenotes discovered all over Mexico and they estimate that there is more than thirty thousands.

Therefore, it is concluded that those who go to Mexico feel obligated to swim (or wet their feet at least) in a cenote. They are very deep, this one I’m talking about had 500 meters deep. The water is cold and it has the most beautiful blue color you’ll ever see! No photo can show the true beauty of a cenote! It was one of the best experiences of this trip (I believe I will say this a lot), and I’ll keep forever what I felt when I saw a cenote for the very first time. You’ll feel so small. The days on Mexico are really big and we must enjoy every minute we had, so before sunset we did another stop. During the trip a descendent boy from the Mayas joined us and we tasted a very typical drink of them, which is made almost only with honey. We learned a few words of the Mayas language and we made a toast, in that language. After that we went to the Archaeological Zone of Ek Balam, an area that was discovered just recently. Another magical place with lots of history. In fact this trip was very rewarding in the knowledge that I acquired. I learned a lot, but in that easy way, without being in a boring history class. Even our guide was great. In Ek Balam we climbed a staircase with 107 steps. Here the difficulty was not so much the number of steps, but the fact that they are small and the staircase was steep. On the top it is an absolutely incredible view of the Archaeological Zone and the immense jungle surrounding it. According to our guide, we were the last ones to climb those stairs because, supposedly, within about a year they will close to preserve the heritage. And so we can only see it, just as they did with Chichen-Itza. I mean, we were lucky!

At the next day, our last trip: Tulum

That image of the perfect beach that we see on Mexico publicity, is taken in Tulum. The National Geographic magazine also “likes” to come here to take photos. The beach is absolutely beautiful, breathtaking and we have the “bad luck” to have red flag at the beach. Which means that we didn’t saw the beach as she is on those publicity photos. But we were as fascinated in a red flag beach day as we would be on a green flag beach day. Before the beach, there is an old village, that was of the Mayas, which today is an Archaeological Zone, where once again we were surprised by what that civilization did so many years ago. In one of the houses we can still see original colors painted by them! n Mexico, we are absorbed, whether we like it or not, by the Mayan culture, it is unavoidable. From the Archaeological Zone and the beach, to the bus, we passed by an area with some stores and coffee shops, where we can make a stop to relax a bit, do some shopping, like a Corona beer for 1 dollar !! And take funny pictures with the skeleton characters that are scattered there. This trip was only until lunchtime, so we took the afternoon and the next day to be between pool and the beach of the resort. You know, that hard life! Ahah… They were, with great sorrow, our last days in Mexico. We also take the opportunity to go to the Hacienda Dona Isabel, it’s inside the resort and is a place where there are several shows throughout the week and where there are several shops with numerous typical things that we can buy. It is also here that is the resort’s nightclub and casino, which we also enjoyed. 

As I said at the beginning of the post, there is the internal promise to return, not only to this part of the country, because there is still a lot to see, to explore, to know and to learn, but also how much I want to know  about other parts of this country that conquered me .
Obviously I cannot upload all the photos I have of the trip, but you can see some more on my instagram page. Don’t forget to check it out: @weekendlovers_pt
  

IMG_20180212_151228_117.jpg

IMG_20180213_151111_560

IMG_20180214_154639_621.jpg

IMG_20180219_195030_199.jpg

IMG_20180221_200739_091.jpg

IMG_20180223_201812_773

IMG_20180216_162734_618.jpg

IMG_20180217_143257_934

O passado mês de Fevereiro fiz, finalmente, uma viagem ao México. Finalmente porque esta viagem já estava para ser feita à cerca de 3 anos mas só agora é que todos os que fomos nesta viagem de amigos, nos conseguimos reunir e ir.
Antes de mais tenho que dizer que estou completamente apaixonada pelo México e quero muito voltar, não só para a mesma zona, pois uma semana não chega, como para outras zonas deste país tão grande. No México fiz coisas que nunca pensei fazer. Não sou uma pessoa de aventuras nem desportos radicais e por isso não procurava actividades que saissem da minha zona de conforto. Mas aqui nadei em rios cheios de peixes à minha volta, nadei debaixo do mar com um escafandro, fiz snorkeling pela primeira vez! Sim, eu sei que não são radicais, mas acreditem que saí da minha zona de conforto e adorei fazer! Ficámos no resot da Baía Principe, instalados no Akumal (têm 4 hoteis dentro do resort) e o primeiro dia não tem muito que contar. De manha tivemos uma pequena reunião, com a agência, que nos explicou tudo o que tinhamos para saber e foi nessa reunião que escolhemos e marcamos as excursões que queríamos fazer. O resto do dia, foi para relaxar, descontrair e aproveitar todo o resort – as piscinas, a praia, a comida e bebida e ver o nosso primeiro pôr-do-sol no México, na praia do resort.

No segundo dia fomos à nossa primeira excursão: Xcaret. Xcaret é um parque com inumeras actividades para fazer e muita coisa para ver. Podemos, por exemplo, nadar no mar com um escafandro, nadar com tubarões, com raias, podemos nadar ao ritmo da corrente em rios – o parque actualmente tem 3 rios, apenas um deles é substerrâneo, os outros 2 têm apenas pequenas partes que ficamos às escuras, mas é muito pouco, num deles passamos por uma gruta com morcegos, é tão boa esta experiência. Mas o parque também tem coisas mais leves para fazer. Tem uma estufa, um borbeletário, podemos ficar na praia, tem redes para descansar, ou seja, é um parque muito diversificado e tem muito mais actividades do que as que disse aqui. Ao final do dia, o parque tem um espectáculo sobre a história do México. Vai desde os Maias e o seu famoso jogo de futebol (jogo de futebol jogado com as ancas em vez de ser com os pés) , à invasão dos espanhóis, até aos dias de hoje. O espectáculo conta com alguns prémios internacionais e vale mesmo a pena ver! Pessoalmente adorei o espectáculo. Xcaret é um parque para estar o dia todo, aliás a nossa excursão começou às 7:30h e chegamos ao resort às 23h!

No dia seguinte fomos ate à Hacienda Jalisco e às 10h já estavámos a fazer uma prova de Tequila! ahah… Aqui provámos a “verdadeira Tequila” como dizem os mexicanos. Aprendemos muito sobre esta bebida, não sabia, por exemplo, que eles tratam a Tequila como nós tratamos o nosso vinho. Ou seja, o número de anos, o paladar, a qualidade, o cuidado, a percentagem de alcool, etc. Foi super interessante e provámos Tequila muito boa, de diferentes anos, com sabores, por exemplo uma de babana (estou a babar só de pensar, era deliciosa) e outra de coco. Mais uma boa experiência. É claro que não resistimos e fizemos umas compras! Garrafas de Tequila para Portugal!! Depois da prova e das compras, fomos, num transporte colectivo, famoso por ali, até à Playa Del Carmen.
Playa Del Carmen é óptimo para quem quer fazer compras. São ruas e mais ruas cheias de comércio. Sim, aproveitámos para comprar umas lembranças, mas estivemos mais interessados em ver. Ruas cheias de gente, por um lado, nativos a darem tudo para conseguirem vender, por outro, turistas a gastar dinheiro.
Passamos pelo Museu da Frida Kahlo, passeamos pelas ruas e aproveitámos um pouco da praia. A tarde foi passada entre piscina e praia do resort para apanhar uma corzinha, para aproveitar o resort e para descansar porque no dia seguinte esperava para nós, mais um dia inteiro cheio de actividade.

No quarto dia fomos até à mundialmente famosa e uma das 7 Maravilhas do Mundo Moderno: Chichén-Itzá. O que há a dizer sobre este lugar? É lindo, somos engolidos pela sua grandeza, magia e história.
Apreendemos muitissimo sobre a cultura Maia e ficamos intrigados ao ver o que fizeram e como fizeram, tudo milimétricamente feito, sem absolutamente nada feito ao acaso. É espantoso!!
Para comprar recordações, será provavelmente dos sítios mais baratos que vão encontrar, por isso é sempre um bom local para compras. Aqui temos que regatiar os preços, o que torna as compras ainda mais divertidas.
Tivemosa sorte de ter um guia simplesmente maravilhoso. Desde o resort, no inicio do dia, até ao final da excursão, foi sempre super simpático, engraçado, sarcástico com um sentido de humor genial, o que tornou as viagens de autocarro nada dificeis de fazer, antes pelo contrário.
Ora a manha foi passada em Chichén-Itzá e na viagem ate Hubiku, eu e os meus amigos fomos “obrigados” a dançar a Macarena no autocarro, porque fomos os ultimos a chegar! Regras do nosso guia! Não é nada demais, nem nada relevante, mas foi tão engraçado, genuíno e um bom desbloqueador de conversa, que tive que o mencionar!
Como já disse, a paragem seguinte foi em Hubiku, onde almoçamos num buffet com comida mexicana (deliciosa), fizemos mais uma prova de Tequila (OMG!) e onde vi, provavelmente, “a coisa” mais linda: o Cenote Hubiku!
A sério, como é que a Natureza consegue nos dar coisas como um cenote..
Já são mais de 10.000 cenotes descobertos em todo o México e estimam que sejam mais de 30.000!!
Por isso, se conclui que quem vai ao México, se sinta obrigado a nadar (ou a molhar os pés, vá) num cenote. São profundos, este tinha mais de 500m de profundidade, a àgua é fria, é do mais azul que há e são lindos, lindos. Nenhuma foto faz jus à beleza deste cenote! Foi das melhores experiências desta viagem (acho que vou dizer isto de todas) e vou guardar para sempre a sensação que foi ver o cenote pela primeira vez. Sentimo-nos pequeninos…
Os dias no México são grandes e são para aproveitar todos os minutos, por isso, ainda antes do sol se pôr, fizemos mais uma paragem.
Na viagem até à proxima paragem, juntou-se a nós um rapaz descendente dos Maias e provámos uma bebida típica deles, que basicamente é composta quase só por mel. Aprendemos ainda umas palavras da linguagem Maia e fizemos um brinde, também nessa lingua. Fomos, então, até à Zona Arqueológica de Ek Balam, uma zona que foi descoberta à relativamente pouco tempo. Mais um local mágico, com muita história. Aliás esta viagem foi muito gratificante no conhecimento que adquiri. Aprendi imenso, mas daquela maneira fácil, sem ser uma aula de história aborrecida. Até nisso o nosso guia foi óptimo. Em Ek Balam subimos uma escadaria com 107 degraus. Aqui a dificuldade não é tanto o numero de degraus, mas o facto de eles serem pequenos e a escada ser a pique. Lá em cima está uma vista absolutamente incrível sobre a Zona Arqueológica e a selva imensa que a envolve. Segundo o nosso guia, fomos dos ultimos a subir estas escadas pois, supostamente, dentro de sensivelmente um ano vão fechar para preservar o património. E assim, apenas puderemos vê-la, tal como fizeram com Chichén-Itzá. Ou seja, fomos uns sortudos!

No dia seguinte, a nossa ultima excursão: Tulum.
Aquela imagem duma praia perfeita que vemos em publicidade ao México, é tirada aqui. A revista National Geographic também “gosta” muito de vir aqui tirar fotos. A praia é absolutamente linda, de cortar a respiração e nós tivemos o “azar” (grandes aspas)
de ver a praia com bandeira vermelha. O que significa que não vimos a praia tal e qual como se vê nas tais fotos de publicidade. Mas se ficamos fascinadas com a praia num dia de bandeira vermelha, como ficariamos num dia de bandeira verde!! Antes da praia, tem uma antiga aldeia, que foi dos Maias, que hoje é uma Zona Arqueológica, onde mais uma vez, ficamos surpreendidos com o que aquela civilização fez à tantos anos atrás. Numa das casas podemos ainda ver cores originais pintadas por eles! No México, somos
absorvidos, quer queiramos, quer não, pela cultura Maia, é incontornável. Da Zona Arquiológica e da praia, até ao autocarro, passamos por uma zona com algumas lojas
e cafés, onde podemos fazer uma paragem para descontrair um bocado, fazer umas compras, como por exemplo uma cerveja Corona por 1 dolar!! e tirar uma fotos engraçadissimas com os personagens em esqueleto que por lá estão espalhados.
Esta excursão foi apenas até à hora de almoço, pelo que aproveitámos a tarde e o dia seguinte todo para estar entre piscina e a praia do resort, ou seja, aquela vida dificil! Ahah Pois eram, com muita pena nossa, os nossos ultimos dias no México. Aproveitamos ainda para ir até à Hacienda Dona Isabel, fica dentro do resort e é um local onde há vários espectáculos ao longo da semana e onde existe várias lojas com inúmeras coisas típicas que podemos comprar. É aqui também que fica a discoteca e o casino do resort, que também aproveitamos.
Como disse no inicio do post, fica a promessa interna de voltar, não só a esta parte do país, pois existe ainda muita coisa para ver, para explorar, para conhecer e para aprender, como quero muito conhecer outras partes deste país que me conquistou.
Não dá, obviamente, para colocar todas as fotos que tenho da viagem, mas podem ver mais algumas na minha págia de Instagram @weekendlovers_pt

photos: @weekendlovers_pt

One thought on “Quintana Roo, México

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s